Tabela de R.O.E x Potência Transmitida

R.O.E.

% de perda

ERP*

Watts transmitidos

1.0:1

0.0%

100.0%

4.00

1.1:1

0.2%

99.8%

3.99

1.2:1

0.8%

99.2%

3.97

1.3:1

1.7%

98.3%

3.93

1.4:1

2.8%

97.2%

3.89

1.5:1

4.0%

96.0%

3.84

1.6:1

5.3%

94.7%

3.79

1.7:1

6.7%

93.3%

3.73

1.8:1

8.2%

91.8%

3.67

2.0:1

11.1%

88.9%

3.56

2.2:1

14.1%

85.9%

3.44

2.4:1

17.0%

83.0%

3.32

2.6:1

19.8%

80.2%

3.21

3.0:1

25.0%

75.0%

3.00

4.0:1

36.0%

64.0%

2.56

5.0:1

44.4%

55.6%

2.22

6.0:1

51.0%

49.0%

1.96

7.0:1

56.3%

43.8%

1.75

8.0:1

60.5%

39.5%

1.58

9.0:1

64.0%

36.0%

1.44

10.0:1

66.9%

33.1%

1.32

A R.O.E. é uma relação, portanto deve ser sempre apresentada como tal. Não é correto dizermos que uma antena está com R.O.E. de zero ou 1.5, e sim que ela está com R.O.E. de 1:1.0 ou 1:1.5.

Vale lembrar também que é característica intrínsica de algumas antenas uma R.O.E. diferente de 1:1.0. Muitos projetos de antenas tem como sua melhor R.O.E. em torno de 1:1.5.

Transceptores atuais contam com um circuito de proteção que detecta quando há R.O.E. excessiva, diminuindo automaticamente sua potência para evitar danos em seus módulos ou transistores de saída.

Para finalizar, qual seria o limite máximo seguro de R.O.E. para se transmitir? Difícil dizer. Se o rádio tem proteção, não precisamos nos preocupar, ele cuida disso. Agora se não tem, acredito que não exceder 1:2.0 é uma prática segura. Agora não é porque seu rádio tem proteção que vai transmitir de qualquer jeito. Lembre-se, com R.O.E. alta, sua potência será reduzida e o pouco que sobrar perderá boa parte em calor.